Eddie – Morte e Vida (tweet post)

O som de Pernambuco sempre agradou ao Ventiladores, a Banda Eddie especialmente é uma das que consegue melhor traduzir a riqueza da terrinha do Frevo. Enquanto a Nação Zumbi ficou conhecida pelo peso do maracatu, o Eddie tem uma sonoridade mais festiva e preguiçosa, como um carnaval que já dura um tempão mas ninguém nem cogita em parar, no máximo diminuir o ritmo.

Morte e Vida não faz feio diante da discografia da banda, consegue equilibrar frevo, rock, samba e reggae com alguns toques novos de bolero fazendo as canções ficarem ainda mais poéticas e sentimentais. O vocalista Fábio Trummer entra no sexto disco com maturidade produzindo e compondo praticamente tudo.

Baixe: Sendspace

The Beat – I Just Can’t Stop It

Tem dias que a gente se sente, Como quem partiu ou morreu mas eis que chega Ventiladores e manda o destino pra lá.

Nada como ouvir um bom ska 2tone para animar e em matéria de 2tone poucos superam o The Beat, também conhecido pela alcunha The English Beat, para que  ‘MERICANS jogadores de gridiron não confundissem com outras bandas pouco importantes que compartilham o mesmo nome.

Para o afegão médio, 2 tone é o primo rico do ska que nasceu em londres no final da década de 70 e se acha descolado por andar com roupa xadrez e chapéu pork pie. O ritmo incorpora elementos de pop e rock ao som da américa central tornando-se mais agitado no que ficou conhecido como second wave ska. Mais pra frente o ska tornaria a se misturar com outros ritmos especialmente com o punk e o hardcore criando uma tsunami de bandas dispensáveis e outras excelentes, mas isso fica para outro post.

Compre: Amazon

Baixe: Kickasstorrents

BNegão & Os Seletores de Frequência – Sintoniza Lá

Temos aí o sucessor de Enxugando Gelo (2003) uma longa espera de 8 anos, mas finalmente está entregue. O resultado? excelente, na minha opinião ventilada, até melhor que o primeiro.

Bnegão dispensa apresentações, é um dos nomes refêrencias para a música alternativa brasileira, mesmo quem não conhece seu trabalho solo já ouviu falar no Planet Hemp, banda que o projetou nacionalmente e internacionalmente e ele é arroz de festa de festival, tá em todo lugar faz mega shows estilo SWU até pequenos festivais, cruzando o Brasil onde for requisitado e divulgando seu som, mistura de samba, soul, funk (dos dois tipos), Reggae e claro Rock.

Então vá logo ouvir essas 11 faixas sensacionais e procure na agenda dele quando vai ser o próximo show ao vivo dele na sua cidade, por que Bnegão tem a tradição de fazer shows fudidos e se esse som é bom assim no conforto do meu lar, mal consigo esperar pra ver ao vivo.

Ouça:

Compre: Coqueiro Verde

Baixe: Mega.co

Links retirados do site do autor  http://www.bnegaoseletores.com.br/

Lucas Santtana – O Deus Que Devasta Mas também Cura (tweet post)

Aparentemente temos um dos melhores discos de 2012 já em mãos.

Já cansei de exaltar o Sr. Lucas Santtana, sem discussões um dos melhores artistas da safra atual da música brasileira, toda essa babação de ovo pra dizer que óbviamente o cara acertou na mão novamente e está com um album que mistura todas as melhores facetas dos seus lançamentos anteriores, do pop ao minimalista funcionando como um album de reflexão sobre a trajetória de Santtana, enfim bom pra caralho ouça logo o album aí embaixo e depois baixe-o e seja feliz.

Ouça

Baixe:Mediafire
 

Bambas Dois – Bambas Dois

“Modernizar o Passado, é uma revolução Musical” – Chico Science

Misturas, é disso que a música inovadora do séc XXI vive, o desafio de  continuar surpreendendo numa época em que já se viu de tudo é como lutar contra um inimigo invencivel, o que se consegue fazer é uma “reciclagem” ou colagens como gostam de dizer por aí, a última cria dessas tentativas de fazer música nova  foi juntar o forró com o reggae que veio durante uma viagem de barco do produtor de Bambas e Biritas Vol 1.

O Bambas Dois junta grandes nomes da música jamaicana com um calhamaço de músicos brasileiros pra criar uma nova identidade para ritmos conhecidos pela sua tradição e regionalismo e como as raízes da música africana estão presentes nos dois tipos de música tanto na música nordestina quanto na jamaicana, como  dominguinhos disse a gilberto gil certa vez: “é só colocar um triângulo nesse reggae do bob marley que vira um xote”

As colaborações vão de Dominguinhos, Luiz Melodia,Chico César, Dengue da Nação Zumbi até Karina Buhr e backing vocals das Negreskos Sis (Anelis Assumpção, CéU e Thalma De Freitas), do lado da américa central temos os lendários Heptones, colaborações de músicos do Skatalites, o estreante Ky-Mani Marley (filho do homem), Jesse Royal entre outros, tudo feito na cara e na coragem para convencer os artistas da importância e qualidade do projeto que vai muito além da música.

Temos gente fazendo camadas de música eletrônica,tocando flauta, percussão, berimbau, sanfona tudo enquanto BID, o mentor dessa loucura, se diverte produzindo essas dezenas de musicos junto com o DJ Gusta do Echo Sound System, fazendo maracatu virar dancehall, forró virar roots reggaee e rocksteady virar rastapé e tendo a certeza que se faça algo que vá além dos ritmos originais para que se crie um novo ritmo, tudo isso documentado em mini filmes no youtube mostrando toda a trajetória da criação do disco e a viagem a famosa ilha balneária.

Baixe:Depositfiles

Compre:Bambas Dois

Link do canal do youtube http://www.youtube.com/bambasdois

Ouça:

Chinese Man – Racing With The Sun (French Posts)

Os french posts aqui no ventiladores é uma constatação da qualidade da música francesa, ô paisinho criativo, mas na verdade o lugar funciona mais como uma mecca para gente querendo tranformar sua criatividade em música, porque muitas das vezes esse pessoal não é nem francês de nascença mas encontra lá a razão de se fazer música. Então corrigindo não é um paisinho criativo, mas é um país promotor da cultura daí surgem coletivos como o Chinese Man.

Um quarto Cantonês, dois terços Manchou o “Chinese Man” aparentemente originário das montanhas Wu Tang, não muito longe de Marselha, França resolveu enviar seus discípulos para espalhar o espiríto Zen ao redor do mundo com samples antigos e bass supersônico!

Assim Sly, Zé Mateo (Sim brazuca!) e High Ku deixaram seu mestre prontos para encarar a missão que lhes foi confiada. Misturando Hip Hop old school,samples orientais , funk carioca, reggae e psicodelia lançaram alguns eps e resolveram expandir o rolê, uniram-se a outros produtores e lançaram um selo chamado Chinese Man Records e viraram um verdadeiro exército. Com a ajuda de gente competente pra administrar o selo, os 3 guerreiros puderam se dedicar a espalhar o espírito Zen em festas insanas por toda a europa, na companhia de djs como RJD2 e Sharon Jones.

Destaques para: Saudade / Racing With The Sun / Miss Chang

Compre: Amazon
Baixe: The Pirate Bay

Criolo – Nó Na Orelha

“Cientista Social, Casas Bahia e Tragédia, gosta de favelado mais que Nutella”

Criolo, antigo Criolo Doido resolveu expandir os horizontes do rap e entrar pra nova música popular brasileira, aquele negócio sem forma definida nem definitiva que inclui todos os ritmos que podem vir a passar nessa sua cabeça, mas no final das contas é música feito em terras/mentes brasileiras, portanto é música brasileira. Dificil de explicar? imagina pra entender então…

Criolo é figura pré histórica no cenário do hip hop, os MC dinossauro T-Rex, como ele diz em Grajauex uma brincadeira de transformar palavras nacionais em estrangeirismo, já que o rapper é do Grajaú e a música inteira é rimada em “ex” mesmo quando a palavra não deveria ter um ex no final.

Criolo mistura a irreverência das letras com crítica social mas vai além disso, cantando (além de rimar ele arrisca cantar também) musica “brega”, afrobeat e até samba, isso que diferencia o disco do cara, que pode ser justificado pelas mãos de Daniel Ganjaman, produtor de Nó Na Orelha, integrante do Instituto e responsável por produções de nomes consagrados como o Planet Hemp, Sabotage, Nação Zumbi e Racionais.

O disco é muito bem trabalhado e nenhuma faixa deixa a desejar, de tão bom parece até muito curto. Ele intercala músicas mais agitadas com canções mais lentas quebrando o ritmo meio bruscamente entre subiramdoistiozin e não existe amor em SP, mas as outras transições são excelentes. Vale a pena ouvir várias vezes pra entender tudo que ele fala nas canções e até apelar pra sites de letras pra absorver tudo, porque a crítica do cara é simplesmente foda.

Baixe: Site Oficial
Ouça: Bogotá / Grajauex / Sucrilhos