Edward Shape and The Magnetic Zeros – Up From Below

Edwar… vc tá me tirando? Não, não! Jamais! Children, isso é o que na década de sessenta teria vindo sob a alcunha de California Dreamin’ – Mamas & Papas ou talvez Somebody To Love – Jefferson Airplane, mas carregado de indie folk e rock, sim, os hippies que ainda estão por ai hoje, tentando assimilar um nova forma de interagir em sociedade, ou, talvez, resumir tudo a “get high and seize the moment”.

A banda é liderada pelo vocalista do Ima Robot – Alex Ebert, que após terminar com sua namorada e entrar em um programa de reabilitação, passou a compor a história de uma figura messiânica conhecida como Edward Shape, de acordo com seu criador: “Shape foi enviado à terra para salvar a humanidade e tal, mas constantemente era distraído por garotas e paixões”, quanto ao Magnetic Zeros, são um grupo de músicos liderados por Jade Castrinos que viajavam pelos EUA em um ônibus branco e conheceram Ebert em suas viagens.

Up From Below de 2009 é um álbum que evolui no passo da jornada de Edward Shape, seu protagonista, provavelmente um reflexo de diversas experiências (comuns a todos nós eu diria) que vivenciou o líder da banda. Com momentos mais introspectivos e canções carregadas de folk no inicio, ocorre um virada onde aparentemente edward shape se apaixona e nesse momento temos canções mais acessíveis como Home, mas muito bem elaboradas, porém tudo culmina no ápice quando, acredito eu, ele está atravessando o deserto e tomando mezcalina em Kisses Over Babylon, incorporando elementos de canções indígenas na brisa.

Toda essa mistura é belissimamente coordenada e resulta em um álbum que é uma experiência, uma história vivificada, ouça imediatamente!

Ouça: 40 Days/Home

 

Compre: Amazon.com (9.99$)

Baixe: The Pirate Bay.se

Fleet Foxes – Helplessness Blues

Existem algumas bandas que quando surgem, por algum motivo enigmático são eleitas a ultima bolacha do pacote, tanto por crítica, quanto pela audiência alternativa, o que nem sempre traduz em verdadeira qualidade musical, temos que lembrar que já existe uma própria indústria pra vender o “alternativo” por isso quando ouvi o primeiro album do Fleet Foxes não entendi o hype a respeito do album, me parecia um The Shins pra hipsters: menos melodias e mais poesia nas letras. Mas esse ano eles lançaram Helplessness Blues seu segundo album e me vi bem intrigado.

A primeira diferença é o som muito mais orgânico da banda, Imagine se os beach boys resolvessem tocar country e folk musice você começa a entender o que eles queriam fazer, você tem muitos ecos de David Crosby e Nash e aquele estilo de composição do Ennio Morricone que traz imagens de paisagens automaticamente ao se ouvir.

Durante seu primeiro CD eles pareciam mais uma bandinha de indie folk com momentos de grandiosidade e agora eles soam como uma banda grande de verdade, com o som voltado ao blues e o folk inglês, inspirado no contato do homem com a natureza, com a utilização de instrumentos acústicos e flautas e reflexões sérias misturadas a contos de lugar comum ao homem.

Vale a pena ouvir só pelas épicas Montezuma e Grown Ocean

Ouça:

Album: Grooveshark

Compre: Amazon

Baixe: The Pirate Bay

The Dodos – No Color

 

Novo cd do The Dodos já postado aqui no blog, muito bom, não é o Visiter (que eu postei aqui anteriormente) mas vale a ouvida, já que apesar de não ser tão coeso quanto o primeiro album é tão bom quanto o segundo, talvez até melhor. Nesse eles retornam com mais guitarras e licks fazendo uma fusão legal entre o acustico e o elétrico, mas ao fazer isso meio que cairam na mesmice de muitas bandas e perderam um pouco daquele som cru que era tão bem executado. Mas nem tudo são más noticias já que temos a participação de Neko Case no backing vocal, um dos meus próximos posts aqui pra vocês, as melhores músicas do cd obviamente estão quando Neko participa mais da canção porque dá a impressão que na maioria das faixas ela é suprimida.

Enfim, um album muito bom, que poderia ter sido excelente, aqui minha teoria sobre o primeiro album de uma banda funciona, eles não conseguirão superar Visiter mas continuarão fazendo bons albums.

Compre: Amazon

Baixe: The Pirate Bay

Não sabe baixar Torrents? Não tenha vergonha seu analfabeto, ninguém vai saber se você usar nossa seção de HELP .

Mumford And Sons – Sigh No More

Ho Ho Ho post especial de natal! feito há alguns dias  pro blog não ficar sem atualização mesmo nas festas de fim de ano.

Vocês um dia já listaram coisas que você gostaria de ouvir numa banda e um tempão depois você descobre que alguém está fazendo justamente o seu som “imaginário”? Bom isso aconteceu comigo, parece que vou ter que criar outra banda imaginária com tantas qualidades, porque o Mumford And Sons já é realidade, uma Grande realidade.

Desde que eu tinha mais ou menos uns 15 anos sempre quis comprar um banjo, eu queria um banjo, mas não pra fazer bluegrass, seria um Indie Folk com uma levada de banjo, seria algo como se o Simon And Garfunkel montasse uma banda com os Dubliners, mas com uma percussão insanamente contagiante, um vocalista tão carismático quanto o Johnny Cash, e harmonias com várias vozes, estilo beach boys, mas puxada pra um canto quase que lirico, mas nada disso estaria completo sem um contrabaixo  daqueles grandões, um baixo acustico Mesmo, pra fazer o contraponto do violão e quem sabe até uma guitarra. Porque afinal, se você quer fazer um som épico e perene, você precisa de um desses contrabaixos (e alguns metais é claro).

As letras seriam ainda mais épicas que o som, entretanto sem perder o contato com o ser humano, o objeto de maior importância de todas as música da banda, já que nossas inspirações seriam dos grandes imortais,sejam  da filosofia, da literatura ou mesmo da música. Com a intenção sempre de recontar as histórias imortais que todos nós já ouvimos diversas vezes, mas fariamos isso com maestria, você teria que ouvir umas 10 vezes cada música para absorver todo o sentido da música, e ainda algumas pessoas criariam novos sentidos pra elas, que nem implicitos estavam.

E eu tocaria banjo nessa brincadeira! bom….. sonhos à parte (ainda pretendo comprar um banjo e um violão folk) eu acabei de descrever minha idéia que dado algumas manipulações musicais é praticamente o Mumford and Sons.

Eu poderia ainda escrever um monte e falar sobre como a critica ama os caras como o Andrew Bird Bowl Of Fire roubou minha outra idéia de banda, bla bla bla, mas acho que se eu escrever muito mais, ninguém vai ter paciência de ler isso até o fim (malditos preguiçosos do séc XXI vocês esperam chegar em algum lugar com preguiça de ler?) então baixe logo a porra do disco. Ad Astra per Aspera amicus

Compre:http://www.amazon.com/Sigh-No-More-Mumford-Sons/dp/B002L5R75S
Baixe: http://thepiratebay.org/torrent/5650228

The Dodos – Visiter

Indie Folk! um dos meus estilos favoritos, sinto como se eu fosse o Mário e tivesse achado um cogumelo vermelho, eu aumento de tamanho e tudo fica mais fácil! Por alguma razão há uma animação contagiante vinda das bandas folks, talvez pelo combo simples voz/violão que é de fácil identificação e empatia aliadas ao fato delas estarem nessa pela música (Indie) e não pra encher o orificio retal de grana, provoca o aparecimento de bandas como o The Dodos.

O que aconteceria se o The Shins se unisse ao Beirut? eles seriam uma banda um pouco pior que o The Dodos. Talvez só o Andrew Bird faça juz ao nível contagiante desse som, eles conseguem dar um show absurdo de percussão e ensinam a todos artistas wannabes como se tocar um violão, sem parecer pedante e monótono.

Um Album completo, o tipo de disco que os singles são totalmente desnecessários, porque o que realmente funciona é o circulo da audição na integra de. Chega-se ao ponto de um acorde da música iniciar o acorde da música seguinte, ou seja você vai perder detalhes que seriam as cerejas de cada canção se ouvisse-as separadamente, portanto pegue um momento para escutá-lo com aquele cuidado especial, tenho certeza que você não se arrependerá. É gratificante postar um album tão recomendável, considero o melhor achado do semestre. O caldeirão sonoro vai da curta Eyelids até a épica Joe’s Waltz, pare de perder seu tempo lendo essas recomendações mais do que óbvias, baixe e ouça logo algo realmente bom. Ciao Bambinos

Compre: Amazon
Baixe: The Piratebay