L’Orange – The Orchid Days

Não passo muito tempo sem ouvir Hip-hop eletrônico, é definitivamente um dos meus gêneros favoritos, especialmente quando se é utilizado samples antigueiras com classe, por que existe uma grande diferença entre um recortador de discos antigos e um produtor de novos clássicos, mais ou menos como uma criança pode fazer uma colagem de revistas e jornais e uma Hannah Höch e os resultados vão ter uma qualidade final bem diferente.

O L’Orange é uma dessas figuras bem internéticas: independente, valor de produção baixo e talento sobrando misturado com o hype de algum site legal, nesse caso o Bandcamp, proporcionou o ambiente ideal para as experimentações retrôs do cara. Inspiradas nos discos de jazz pré segunda guerra mundial e gravações de rádio antigas L’Orange parece criar uma trilha sonora para um livro/filme Noir mas as batidas e participações de Hip-hop levam o disco em outras direções bastante inesperadas, é como se o Tarantino resolvesse fazer um remake do Falcão Maltês, muito do gênero clássico estaria presente, mas a todo momento teríamos referências modernas que geram um resultado novo.


 

Compre: Bandcamp

Baixe: rutracker

 

RJD2 – More Is That Isn’t (tweet post)

O brilhante RJD2 solta um novo disco pra nossa felicidade. Ele retorna equilibrando canções pops com instrumentais para agradar a todos os públicos do hip-hop, além de também aproveitar para reproduz alguns de seus beats clássicos com uma cara nova, que são alguns dos momentos mais interessantes do disco. Como é tradição em suas obras, o efeito máximo de suas canções é obtido ao serem ouvidos em ordem, ele está inclusive dividido em 3 suites, ou atos então faça o favor de ouvir ao menos uma vez da forma como ele foi pensado.

Compre: Amazon

Baixe: Kickass

Bonus Track: A bateria eletrônica de RJD2 é tão bem feita e orgânica que parece ser feita ao vivo. Suas viradas são tão características que ele praticamente tem um assinatura própria, em seu Remix da sua música de abertura de Mad Men  com elementos de turntablism e hip-hop e cria um clássico instantâneo.

Toro Y Moi – Anything In Return (tweet post)

Novo album do Toro Y Moi, seu trabalho mais pesado até agora. Forte influência de Hip-Hop no som e sua mudança para a Califórnia transparece nas escolhas sonoras de Chaz, perde-se um pouco aqui (Chillwave), mas ganha-se ali (Dance), enfim um album muito bom da chamada “crise do terceiro album” que muitos artistas sofrem, felizmente Chad passa no teste com louvor.

Compre: Amazon

Baixe: Kickass

Teddybears STHLM – Fresh!

Hello ventilated people.

Que som fazem os garotos e garotas da Suécia? (não Suiça onde nossos políticos são sócios de lavanderias). Vejamos, 15 graus celsius no verão, 6 horas de sol no inverno, hum (…) METAL é claro! Se essa foi sua conclusão você está (…) CORRETO! Assim como o seu país vizinho a Finlândia e o resto dos nórdicos, metal is the law, um amigo que decidiu morar por ali relatou que existe metal para todos os gostos, até mesmo metal infantil, sério, uma banda de crianças fantasiadas do dinossauro Barney mandando ver nos riffs from hell.

Pois então o que aconteceu com nossos amigos do Teddybears Estocolmo?! Eles foram uma banda de grindcore um dia, mas como uma de suas músicas relata “one day she moved to a different sound”,  e um pouco de eletrônica aqui, um pouco de rap ali e muita atitude, BOOM! Teddybears!

Esses caras fazem um som do caralho! e no álbum Fresh! eles não deixam o nome a desejar, misturando punk, reggae, hip-hop, eletrônica e rock dão uma refrescada nos seus ouvidos que estão cansados de ouvir a mesma coisa. Estes rapazes adoram exaltar o quanto são fodas em suas letras, talvez por isso me lembrem os Beastie Boys às vezes, arrisco a dizer que sejam a versão sueca (se você não riu assista Rebobine Por Favor). Sem mais, os rapazes de terno com cabeças de urso gigantes farão seus pés dançarem a um som ubber original.

Ouça: Grooveshark

Compre: Amazon

Baixe: Piratebay (FLAC)

Não sabe baixar Torrents? não tenha vergonha seu analfabeto, ninguém vai saber se você usar nossa seção de HELP

The Go! Team – Thunder Lightning Strike

Bom dia ventilados!! É com imenso prazer que lhes apresento The Go! Team!!

Aaah fazia muito tempo que não ouvia esse som e após ouvir 10seg. em algum comercial pensei: Como eu ainda não postei isso! É genial, inédito, criativo e empolgante! E cá estou eu, dois minutos após esse fato. HaHaHa!! (não tomei meus remédios hoje).

Sei que estamos sempre tentando surpreender com combinações inusitadas de estilos musicais e blá blá, mas trilhas de filmes de ação, hinos de cheerleaders, pré hip-hop e 70’s funk no mesmo lugar? Pois é, os britânicos do The Go! Team têm tudo isso e também têm dois bateristas!!

O som é extremamente rico, todo feito com muito esmero a partir de samples, as músicas evoluem transcendendo de textura em textura, enquanto em um momento você está naquele universo nostálgico de Peter Bjorn and John, logo vêm aquele vocal de cheerleaders e sem que você possa ao menos perceber você já está na trilha de um action movie, porém sem perder aquela empolgação adolescente que permeia as faixas, é  como voltar ao tempos em que você e seus amigos apertavam campainhas e saiam correndo pela cidade jogando balões d’água de cima de prédios.

Thunder, Lightning, Strike é o primeiro álbum da banda, e admito que o único ao qual tive oportunidade de escutar, este álbum esteve próximo de muitas premiações graças ao forte apelo junto a crítica, porém, a versão oficial teve problemas com samples não autorizados e melou o ano do seu lançamento. Mas como o universo é justo e verdadeiro, metade das faixas desse álbum foram vinculadas a propagandas de grandes marcas, garantindo à banda fôlego suficiente para lançar mais dois álbuns. Uma última curiosidade à respeito da banda é que apesar do uso massivo de samples esse jovens esforçam-se para reproduzir quase tudo com instrumentos quando apresentando-se ao vivo. Enfim, coisa fina, confiram imediatamente.

[vimeo http://vimeo.com/3814433]

 

Ouça: Huddle Formation / Feel Good By Numbers

 

Compre: Amazon

Baixe: Piratebay (discografia)

Não sabe baixar Torrents? não tenha vergonha seu analfabeto, ninguém vai saber se você usar nossa seção de HELP

Shabazz Palaces – Black Up

Sangue nos olhos rapaz!, Shabazz Palaces é o estado da arte do hip-hop, não eu não estou brincando, senta ae que vo te falar meia dúzia da coisas pra lunáticos por música.

Pessoal fica falando de como o Kanye West é revolucionário, como ele consegue trazer o ambiente alternativo ao hip-hop e isso e aquilo, méritos do cara a parte, ele não arranha nem a superfície da cena underground do rap. E com que propriedade eu falo isso? nenhuma, prefiro deixar vocês ouvirem o disco do Shabazz e entenderem do que eu tô falando.

Dizem que o maior problema do rap é a mesmice, fórmulas prontas e falta de originalidade estariam matando o hip-hop assim como aconteceu com o rock, pra falar a verdade eu não levo muito a sério essas besteiras, mas é fato que o “bling bling” não vai ser mais tão popular como já foi. Mas é sempre quando a onda está pra quebrar que você tem os melhores momentos pra aproveitá-la, o Shabazz Palaces é a inovação por trás do que estava ficando cansativo.

Eles pegaram o hip-hop e o reduziram a suas melhores rimas no melhor estilo Wu Tang Clan e ATCQ , juntaram algumas das percussões mais tribais que já passou pela sua cabeça e com uma pegada de dubstep londrino criaram a maior viagem psicodélica de 2011. O som é quase que claustrofóbico de tão intenso e raramente chega perto de um ritmo dançante, pelo menos nenhuma dança popular, dá pra imaginar talvez uma dança cerimonial.

Se eu não te convenci que eles não são mais um grupo de rap, vou então dizer que eles assinaram com a lendária Sub Pop, os caras que viram o potencial num bando de malucos que andavam com calças jeans rasgadas e camisas de flanelas surradas que faziam um som barulhento e estranho chamado Grunge. Resumindo então nas humildes palavras do Shabazz Palaces  “we’re not the best, but we’re pretty good” o fato da Sub Pop não assinar com nenhum artista de hip hop pode talvez chamar atenção para o talento desses novos “doidos”.

Compre: Amazon
Baixe: The Pirate Bay / Versão FLAC Recomendo baixar a versão FLAC e ouvir com fones para sair de órbita